Sinopse

Neste novo programa juntamos três coreógrafos com percursos, linguagens e estéticas distintas, mas que se ligam entre eles através das partituras das suas obras – diferentes compositores para quartetos de cordas.

Anne Teresa de Keersmaeker uma das grandes referências da dança contemporânea e figura assídua do repertório da CNB, volta à cena do Teatro Camões com Grosse Fuge, peça criada em 1992 sobre o quarteto para cordas op.133 de Beethoven e que a Companhia integrou no seu repertório em 2012.

Fábio Lopez, jovem coreógrafo português radicado em França, cria a sua primeira obra para a CNB utilizando a música de Gavin Bryars.

Alexander Ekman, um dos mais notáveis e premiados coreógrafos da cena internacional entra para o repertório da CNB com Cacti. Uma obra de 2010 onde, a partir das obras de diferentes compositores, o humor, o desafio e o ritmo transformaram esta obra numa referência do trabalho de Ekman.


GROSSE FUGE

Grosse Fuge é uma coreografia que se apresenta num íntimo, intenso e inventivo diálogo com a música de Beethoven.

Nesta obra, Keersmaeker, desenvolve uma escalada de impulsos através de um vocabulário no qual desafia as leis da gravidade, de uma forma de cortar a respiração.

Estreado em 1992 pela sua própria Companhia, Rosas, foi uma das obras a integrar o programa Keersmaeker em 2012, dançado pela CNB e integrado no Artista na Cidade’12.


AVANT QU’IL N’Y AIT LE SILENCE

A simplicidade de um gesto oferece-se como um furacão de tentações.

Abraços que se entrelaçam e se deleitam.

O abandono, cegamente, através de um «memento mori» face ao mundo que, no eixo do tempo, continua ritmado por ciclos.

O abismo da alma, uma vida vivida que permanece diante de nossos olhos.

O silêncio, como uma arma que te apunhala, como uma paragem, tão profunda como a morte.

“Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa – salvar a humanidade.” Almada Negreiros, A invenção do dia claro (1921)

Fábio Lopez

O coreógrafo dedica a sua peça a Marc de Graef (1954-2014), antigo pedagogo da disciplina de pas-de-deux da Escola Artística de Dança do Conservatório Nacional.


CACTI

Cacti é uma alegre paródia, uma desconstrução afectuosa e acutilante da dança, na qual somos transportados através do humor.

Estreado em 2010, é uma das peças de referência de Alexander Ekman. É composta por 16 bailarinos e bailarinas que criam ritmos, juntamente com 4 músicos em palco, tornando-se os próprios instrumentos de orquestra.

Alexander Ekman é um dos mais proeminentes nomes da dança internacional e passa agora a fazer também parte do repertório da CNB.

Ficha Técnica

Grosse Fuge
Anne Teresa De Keersmaeker Coreografia
Ludwig van Beethoven Música
Jan Joris Lamers Cenografia e Desenho de luz
Nathalie Douxfils Figurinos
Georges-Elie Octors Análise musical
Nordine Benchorf, Bruce Campbell, Vincent Dunoyer, Thomas Hauert. Cynthia Loemij, Oliver Koch, Eduardo Torroja Cocriação
Quarteto de Cordas de MatosinhosInterpretação musical
Companhia Nacional de Bailado Produção
AVANT QU’IL N’Y AIT LE SILENCE
Fábio Lopez Coreografia
Barbora Hruskova Assistência à coreografia
Gavin Bryars - Quarteto para cordas no.3 Música
José António TenenteFigurinos
Christian Grossard Desenho de Luz
Quarteto de Cordas de MatosinhosInterpretação musical
Companhia Nacional de Bailado Produção
CACTI
Alexander Ekman Coreografia e Cenários e Figurinos
Joseph Haydn Sonata no. V Sitio da obra Die sieben letzten Worte unseres Erlösers am Kreuze, Hoboken XX, 1B; Ludwig van Beethoven quarteto de cordas no. 9 in C-minor, opus 59, Andante con moto quasi allegretto; Franz Schubert Presto, quarteto de cordas de Der Tod und das Mädchen, arranjo orquestral de Andy Stein; Allegro de Joseph Haydn do quarteto de cordas, opus 9, no. 6 in A-minor.Música
Spenser Theberge Libretto
Tom Visser Desenho de luz
Quarteto de Cordas de MatosinhosInterpretação musical
Companhia Nacional de Bailado Produção

Elencos

Bailarinos e Bailarinas da CNBInterpretação

Ensaio Geral Solidário

Através de um donativo a partir de 12 euros a uma das instituições de solidariedade social a anunciar, tem direito a um convite para assistir ao Ensaio Geral Solidário do programa Keersmaker/Lopez/Ekman, no dia 02 de março de 2022, às 20h, no Teatro Camões. Mais informações aqui.

Ao contribuir para esta causa, será entregue um recibo de donativo, ao abrigo da Lei do Mecenato, para efeitos de dedução fiscal.


SOBRE O ENSAIO GERAL SOLIDÁRIO

O Ensaio Geral Solidário — EGS — é uma iniciativa inédita da CNB iniciada em 2011 por Luís Moreira, ex-bailarino da Companhia, e que tem sido realizada praticamente em todos os ensaios gerais da CNB. Em cada espetáculo, apresentado no Teatro Camões, a CNB oferece o ensaio geral a instituições de solidariedade social, proporcionando não só um momento de união entre os públicos e as causas sociais como as condições necessárias à angariação de fundos que ajudem as instituições a alcançar os seus objetivos.

A ligação da cultura à solidariedade, a mobilização da sociedade civil em torno de causas sociais e os resultados obtidos nos últimos anos dão-nos a certeza que este é um projeto que faz sentido continuar a desenvolver. Ao longo de dez anos, apoiámos mais de uma centena de instituições que têm escolhido a CNB para sua companhia nas causas solidárias em torno da dança.