Nova Direção Artística 2024-2028

O Conselho de Administração do OPART, E.P.E. informa que Fernando Duarte é o novo diretor artístico da Companhia Nacional de Bailado (CNB), na sequência de concurso internacional, iniciando funções no dia 2 de setembro de 2024.

Fernando Duarte ©André Iannucci

O júri do concurso, composto por Conceição Amaral (presidente do júri), Rui Morais, Mark Deputter, Olga Roriz e Ted Brandsen, considerou que apesar da grande qualidade das cinco candidaturas selecionadas para a fase das entrevistas, a proposta programática, a formação e a experiência artística de Fernando Duarte reuniram unanimidade na decisão, distinguindo-se pela sua clareza e abrangência.

O júri realça ainda que o seu percurso pessoal e artístico, bem como o seu conhecimento do setor das artes performativas e a sua capacidade de comunicação e expressão, demonstrados durante a entrevista, evidenciam igualmente a sua preparação para a necessária representação institucional, resolução de problemas e para a gestão de equipas.

Com uma visão artística e programática que coloca a missão da CNB no centro da sua ação, Fernando Duarte afirma que quer “contribuir para um serviço público de excelência em dança, por todo o território nacional”, evidenciando também a sua dimensão internacional. O novo diretor artístico da CNB posiciona o seu projeto na cena artística global e apresenta um modelo de gestão artística integrada, que articula valores como “a excelência técnica e artística do corpo artístico e de criadores, a participação comunitária, a coesão social e cultural, a formação contínua, o pensamento, a acessibilidade, a sustentabilidade (financeira e ambiental), a diversidade e o desenvolvimento e bem-estar coletivo”.

Na implementação do projeto proposto, Fernando Duarte realça a importância das parcerias estratégicas, através da criação de colaborações com organizações e líderes ao nível da criação artística, do pensamento e da tecnologia, indo ao encontro da inovação.

O concurso internacional de seleção decorreu entre 22 de março e 4 de junho de 2024 e acolheu 46 candidaturas nacionais e estrangeiras, das quais 21 elegíveis. A quantidade, a qualidade e a diversidade das propostas recebidas revelou a importância que a Companhia Nacional de Bailado tem na comunidade artística a nível nacional e internacional. A todos os candidatos e candidatas é devido um sincero agradecimento pelo envolvimento e interesse.

O Conselho de Administração do OPART deixa também um agradecimento aos elementos do júri, externos ao OPART – Mark Deputter, Olga Roriz e Ted Brandsen – pela disponibilidade, dedicação e apreciação detalhada das muitas candidaturas.

Nota Biográfica

Fernando Duarte nasceu em Lisboa, em 1979. Estudou na Academia de Dança Contemporânea de Setúbal, sob orientação dos professores Maria Bessa e António Rodrigues. Durante o seu último ano
de curso, foi bailarino estagiário na Companhia de Dança Contemporânea. Ingressou na Companhia Nacional de Bailado, em 1996, onde foi Bailarino Principal, e dançou os papéis principais do repertório clássico, assim como bailados do universo neoclássico e contemporâneo. Entre 2005 e 2007, Fernando Duarte rumou ao Ballet Nacional da Noruega, onde foi Solista, tendo as suas atuações sido destacadas na imprensa internacional. Em 2011 tornou-se Mestre de Bailado na CNB, cargo que desempenhou até 2017. Nesse período foi-lhe também encomendada pela Direção Artística da CNB, a criação coreográfica das novas versões dos bailados O Lago dos Cisnes (2013), Quebra-Nozes (2014), O Pássaro de Fogo (2015) e La Bayadère (2016). A sua experiência enquanto professor de técnica de Dança Clássica no ensino artístico especializado, remonta a 2008, quando lecionou na Academia de Dança Contemporânea de Setúbal, sendo, desde 2018, docente na Escola Artística de Dança do Conservatório Nacional. Paralelamente. Fernando Duarte foi ainda professor convidado em diversas escolas de dança nacionais e internacionais. Em 2018 funda e assume a co-direção artística da Dança em Diálogos e, nesse ano, é-lhe atribuído o Prémio da Dança Anna Mascolo da Mirpuri Foundation, com o bailado Murmúrios de Pedro e Inês.

Fernando Duarte tem um percurso ímpar na reinvenção e adaptação aos novos tempos dos grandes clássicos do final do século XIX e princípio do século XX, assim como, recentemente, na criação de um novo repertório para o século XXI que reflete uma ligação entre a memória e a cultura contemporânea portuguesa, dos quais são exemplos os bailados O primo Basílio (2020) e Memorial do Convento (2022).
Entre 2021 e 2023, foi Diretor Artístico e orientador no projeto Radio(grafias) Iguais, da Dança em Diálogos, um projeto de coesão social e artística que integrou a 1o edição do programa PARTIS &
Art for Change da Fundação Calouste Gulbenkian e Fundação La Caixa. Fernando Duarte é ainda,
desde 2021, co-curador artístico do Ciclo de Bailado em Seteais e, desde 2022, do ciclo “A Música também Dança”, do Centro Cultural Olga Cadaval. Convidado a participar em conferências sobre Arte e Dança, Fernando Duarte é, também, doutorando em Estudos Artísticos na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e investigador doutorando no Instituto de História de Arte da NOVA-FCSH. A sua área de investigação debruça-se sobre a narratividade e coreologia nos bailados narrativos contemporâneos. Numa outra linha de investigação, dedica-se à articulação entre a teoria e a prática da dança, e como esta pode ser refletida no campo da criação coreográfica.